quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Recadinhos


Acho mesmo graça a casais que quase não se falam em casa, que não se podem ver, já se separaram uma dúzia de vezes,  e no Facebook são o casal mais apaixonado, amoroso e cúmplice que há.
Sou consumidora do Facebook é verdade, gosto de por algumas fotos e gosto de ver o que lá se passa, mas há limites para o ridículo. Já não tenho paciência para ver as pessoas mandarem "recadinhos" sob a capa de um post qualquer aparentemente inofensivo a toda a hora,  e de certeza que não tenho paciência para o desfile que muita gente põe com fotografias nas Caraíbas, no famoso restaurante X, ao pé do fantástico Iphone que o namorado ofereceu ou mostrar os filhos que são verdadeiros modelos de educação... Não digo que as pessoas não possam partilhar fotos das férias ou do que bem entenderem, mas, sem competição, sem maldade e sem segundas intenções.
Partilhem o amor, sim, mas mais importante que isso sejam REALMENTE felizes!



quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

Just a little crush??

Este feriado senti-me uma mãe exemplar.
O meu filho logo pela manhã veio-me pedir se uma amiga podia vir lá passar a tarde. Confesso que não é coisa que adore, ter miúdos lá em casa, mas como ele queria tanto lá cedi.
Falei com a mãe da menina (amiga do meu já há muito tempo) e às três da tarde lá chegou ela perante o olhar embevecido dele. Ainda não consegui perceber se é uma amizade muito bonita ou se há ali qualquer coisa parecida com uma paixoneta.
Passou lá a tarde, jantou e só foi embora já eram 22.30h. Viram filmes enroscados no sofá com uma mantinha nas pernas, jogaram Playstation, tiraram fotos, riram. Beberam sumos, comeram torradas, pipocas. Quando ela se foi embora disse: "Adorei o meu dia!"
E isto enche-me o coração.

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Andanças Carnivalescas

Não gosto particularmente do Carnaval, é coisa que não me diz nada.
Detesto aquelas pessoas que vêm de máscaras no rosto e te empurram ou tocam para adivinhares quem é. Não acho piada à maior parte das máscaras de adultos não vejo qual a piada de andarem por aí a desfilar.
Nas crianças entendo bem. O Carnaval trás aos mais pequenos a possibilidade de encarnar e representar as personagens que adoram, os seus ídolos, e é o ideal para “brincar ao faz-de-conta" misturando a imaginação com a realidade.
Nos adultos não vejo mesmo qual a graça. Mas isto é a minha opinião.
Para mim o melhor do Carnaval é não ter que ir trabalhar. Bom Carnaval a todos!